Dança do Ventre p/ Gestantes

Dança na Gestação

Em sua origem, o verdadeiro significado da dança do ventre, é o poder de criação incutido nela, a fertilidade, a gestação, a maternidade.
Ela é dançada pelas mulheres árabes durante o trabalho de parto – tanto pela parturiente que repete os movimentos de contração e vibração de abdômen, como pelas outras mulheres que, junto com a parteira, assistem o parto formando um círculo em volta da futura mamãe, dançando e cantando uma ladainha para purificar o ambiente e estreitar o contato com o divino.
Este ritual é executado tanto nos países do Oriente Médio como nos africanos até os dias de hoje.

Por que fazer?

A gestante que se propõe a fazer uma atividade física, é responsável por levar mais oxigênio e nutrientes ao bebê ao longo de sua vida intrauterina já que o fluxo sanguíneo placentário aumenta com exercício moderado. Pensando na prática da dança voltada para a gravidez – respeitando esse momento, sua fisiologia e seus aspectos emocionais – podemos ampliar esse benefício trazendo uma conexão da mulher com seu corpo e com seu bebê. Dançar ajuda a valorizar as mudanças externas, trabalha a autoestima de forma construtiva, ajuda a mulher a se gostar mais, se respeitar mais, se olhar além dos quilos que aumentam na balança, admirando as curvas que vão arredondando com o passar das semanas.
Formato

Aulas Particulares

O ideal é que a aula para gestantes seja voltada única e exclusivamente à ela, assim poderá receber uma atenção especial ao seu corpo, podendo também trabalhar dentro das limitações específicas de cada pessoa.

Benefícios para você

E seu bebê

FÍSICOS
EMOCIONAIS
Metódos utilizados pela professora

Lare Tymezka

Lare passou por duas gestações, onde se manteve em atividade corporal, desde o primeiro minuto da gestação até os momentos finais.
Suas gestações foram saudáveis, e o seu corpo sempre se manteve forte, equilibrado, flexível e melhor preparado pra este período gestacional e durante o parto.

Lare teve 2 partos naturais, um de cócoras e o outro na água, ambos sem lacerações, períneo íntegro, devido ao trabalho de fortalecimento muscular dessa região, e do relaxamento correto na hora necessária da expulsão do bebê.

Lare também se utiliza de algumas técnicas de respiração, Yôga e pompoarismo que auxiliam e facilitam o trabalho desenvolvido para cada gestante.
quanto a história da humanidade. É a primeira dança feminina de que se tem registro. Enquanto as outras danças eram executadas pelos homens e claramente ligadas à sobrevivência (chuva, caça, etc.), desenhos em cavernas de mulheres dançando, evidenciam sempre o ventre.

Benefícios para

o Parto

É possível avaliar num contexto geral que geralmente, as mulheres grávidas que se exercitam regularmente podem contar com um trabalho de parto mais curto e com menos necessidade de intervenções e, dentre tantos motivos que podem justificar isso, um dos principais é a consciência corporal, que é tão desenvolvida através da dança do ventre.

A prática da dança do ventre durante a gravidez confere uma maior disposição e força física, trabalha de forma gradativa e suave os músculos das pernas, panturrilhas e coxas – grupo muscular bastante exigido durante o parto.

Sabe-se que uma das posições mais favoráveis para a mulher parir é a posição de cócoras, a dança permite fortalecer esses músculos, e torná-los flexíveis a fim de moverem-se naturalmente durante o trabalho de parto e facilitar o nascimento.